Por que Jesus Cristo foi tentado no deserto pelo demônio?

Porque Jesus foi tentado pelo demonio? Jesus Cristo foi tentado pelo diabo no deserto por 40 dias. Jesus venceu o demonio. Jesus foi tentado pelo tentador

Jesus CristoPorque Jesus Cristo foi tentado no deserto?

Jesus enfrentou todas as provações que nós, seres humanos comuns, passamos por toda nossa vida.

E Jesus, cheio do Espírito Santo, voltou do Jordão e foi levado pelo Espírito ao deserto;
E quarenta dias foi tentado pelo diabo, e naqueles dias não comeu coisa alguma; e, terminados eles, teve fome. 

E disse-lhe o diabo: Se tu és o Filho de Deus, dize a esta pedra que se transforme em pão.

E Jesus lhe respondeu, dizendo: Está escrito que nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra de Deus.  Lucas 4:1-4

Primeiramente temos que interpretar a passagem com atenção. O diabo não se anuncia, mas Jesus sabia de antemão que seria tentado por ele. Muitas vezes nós somos tentados e nem percebemos que é o próprio demônio agindo em nossa vida.  Somente Jesus, quando vive em nós, é que tem condição de nos alertar da presença do maligno.

É interessante ressaltar que Jesus flagrantemente teve necessidade e que tal urgência foi imposta por Deus, pois é Ele quem dá “bens e males”.  A parábola cita o mal que Deus ordenou a Jesus: ficar sem comer por 40 dias. O diabo quis se aproveitar disso, mas Jesus não aceitou ser liberto por ele. E da própria necessidade Jesus ensina (e talvez tenha aprendido ou se aperfeiçoado por conta desta urgência) que não vivemos só da felicidade terrena, mas também da palavra de Deus. Ou seja, a palavra de Deus é que nos salva. Bastava uma palavra de Deus para que Jesus fosse liberto daquela situação.

O demônio esperou Jesus ficar no seu momento mais enfraquecido para tenta-lo. Assim também é em nossas vidas, infelizmente. Da mesma forma, o tentador tentou minar a confiança de Jesus quando ele diz “Se tu és o Filho de Deus”. Muitas vezes o tentador nos faz esta mesma pergunta: “Será que Deus te ama? Então porque passa por isso?”

A parábola continua:

E o diabo, levando-o a um alto monte, mostrou-lhe num momento de tempo todos os reinos do mundo.
E disse-lhe o diabo: Dar-te-ei a ti todo este poder e a sua glória; porque a mim me foi entregue, e dou-o a quem quero.
Portanto, se tu me adorares, tudo será teu.
E Jesus, respondendo, disse-lhe: Vai-te para trás de mim, Satanás; porque está escrito: Adorarás o SENHOR teu Deus, e só a ele servirás.
Lucas 4:5-8

O diabo desta vez quis fazer Jesus adorá-lo, atiçando a cobiça e o desejo de poder, da mesma forma que faz conosco quase todos os dias. Jesus repreendeu o demônio, nos ensinando que só devemos adorar a Deus.  Fica interessante perceber que Jesus, naquele momento não conseguiu expulsar o demônio e por uma vez mais foi incomodado.  Reparemos também que o demônio pareceu desconhecer que o mundo já estava prestes a ser entregue a Jesus e que todas as coisas estariam debaixo dos pés Dele em breve. Fica claro que o diabo não sabe tanto quando diz saber.

A parábola continua:

Levou-o também a Jerusalém, e pô-lo sobre o pináculo do templo, e disse-lhe: Se tu és o Filho de Deus, lança-te daqui abaixo;
Porque está escrito: Mandará aos seus anjos, acerca de ti, que te guardem,
E que te sustenham nas mãos, Para que nunca tropeces com o teu pé em alguma pedra.
E Jesus, respondendo, disse-lhe: Dito está: Não tentarás ao Senhor teu Deus.
E, acabando o diabo toda a tentação, ausentou-se dele por algum tempo.
Então, pela virtude do Espírito, voltou Jesus para a Galiléia, e a sua fama correu por todas as terras em derredor.
Lucas 4:9-14

Irritado, o diabo quis que Jesus se matasse (assim como muitas vezes sugere que nós ponhamos um fim às nossas vidas). Jesus sabiamente nos ensina que não devemos nos arriscar de maneira vã com nossas vidas pois isso é uma provocação para Deus.  Nós mesmos devemos cuidar sabiamente dos dons que recebemos e não jogá-los fora ou trata-los de maneira negligente ou descuidada.

Por fim, o diabo se foi, mas somente “quando acabou toda a tentação”. Provavelmente, assim também é conosco: o tentador fica em nossa vida por uma fase, um período, com um objetivo claro: para tirarmos conclusões, ensinamentos e, principalmente orar.

Jesus jejuou e orou e somente assim o demônio se foi. Então “orar” é também aprender, clamando Pai a todo instante.  Foi talvez por isso que Jesus disse:

Mas esta casta de demônios não se expulsa senão pela oração e pelo jejum. Mt 17: 14-21. Nesta passagem os discípulos de Jesus não conseguiam expulsar determinado demônio.

Façamos assim então para expulsar os demônios mais poderosos: “jejum e oração”. Entendamos que “jejum” não é “ficar sem comer”. É a privação de algum item necessário para nossa existência e não somos nós que escolhemos “o jejum”, mas o próprio Deus. Tentemos entender que certas fases difíceis de nossas vidas são “jejuns” e Deus que escolheu o momento e a privação que devemos passar. Oremos para que Ele nos livre do mal, nunca o demônio!

Amém.

 

Related Posts

18 comments

Leave your reply

*" value="" aria-required='true' />
*" value="" aria-required='true' />